quinta-feira, 26 de julho de 2012

Ficar Bravo Com O Cachorro E Chutar O Gato


"Eu, porém, olharei para o SENHOR..." (Miquéias 7:7).

Um pastor perguntou a certo homem, por que ele parou de frequentar os serviços da igreja. O homem respondeu: "As pessoas não me trataram bem". O pastor perguntou: "Então, por que você não vai para casa e bate em sua esposa?" O apóstata, surpreso, Olhou para o pastor como quem questiona sua sanidade. "Minha esposa não fez nada contra mim", "Bem", o pastor falou, "o Senhor Jesus fez algo contra você?" Ser irritado pelos irmãos e abandonar o Senhor é tão lógico como ficar bravo com o cachorro e chutar o gato.

Por que vamos aos cultos na Congregação? Qual a nossa motivação? O que esperamos achar naquele lugar? Estamos indo encontrar pessoas ou louvar ao Senhor?

Cristo é o motivo de nossos cultos. Nós o amamos e queremos adorá-lo. Quando vamos ao templo, o nosso propósito é buscar a Sua presença, louvar e bendizer o Seu santo nome, mostrar toda a nossa gratidão pelas incontáveis bênçãos recebidas durante a semana.

Quando deixamos de ir aos cultos por causa de um ou outro irmão, estamos dando mais importância a estes do que a Jesus. Quando ficamos de mau-humor por que o pastor não nos cumprimentou, estamos esquecendo que fomos ali para glorificar a Deus e não a homens. Quando nos distraímos observando o comportamento de uma ou outra pessoa, estamos dando a estes mais valor do que ao nosso Senhor e Salvador.

Se eu vou às reuniões, olharei para o Senhor. Se eu estiver acompanhando os cânticos durante o louvor, olharei para o Senhor. Quando estiver ouvindo o sermão trazido pelo pregador, olharei para o Senhor. Dessa forma, sempre serei abençoado.

Nós vamos aos cultos por causa do Senhor. Só isso importa.

terça-feira, 24 de julho de 2012

As maiores lições da vida


Juquinha, um menino que se achava muito espertalhão, pensou que houvesse enganado dona Érica, sua professora. Ele tirou nota máxima em sua prova mensal e a boa professora, na frente de todos os alunos, o elogiou.
- Muito bem! Juquinha. A sua prova está entre as melhores da classe!
O menino, no entanto, ficou vermelho.

- Nossa ! – pensou – se a dona Érica soubesse que a prova foi colada…
Olhou o quadro de honra, seu nome estava em primeiro lugar e bem destacado. Recebeu o boletim e lá estava: 10, com louvor e merecimento.
- Muito bem, Juquinha! Gostamos de ver! Hoje, você nos deu uma grande alegria. Disseram-lhe os pais felizes.
À tarde, seu pai, trouxe de presente aquela linda caneta que ele sempre desejara. Na escola, no dia seguinte, todos os seus colegas olhavam-no com admiração e respeito.
Mas Juquinha estava inconsolável. Nunca pensou que a coisa fosse parar naquele pé. Mais dia, menos dia, todos ficariam sabendo que ele não estudou, que ele não sabia nada. E quando todos descobrissem seria uma decepção geral…
Depois de muito pensar, foi à igreja no domingo logo cedo. Lembrou-se dos constantes ensinamentos que seu pai e sua mãe sempre lhe deram. Pediu perdão a Deus e que lhe ajudasse a sair daquela situação.
A resposta veio quase que imediata…Ao chegar em casa, ele já sabia o que fazer: Pegar seus livros, seus cadernos e estudar. A partir daquele momento tomou tamanho gosto pelos estudos, que se aprofundava cada vez mais neste mundo novo.
No mês seguinte foi fazer a prova mensal muito bem preparado. E fez, sem nenhum desmerecimento, uma prova maravilhosa! Contudo, faltava-lhe responder uma pergunta de história e por mais que se esforçasse não conseguiu lembrar o nome do segundo Governador Geral do Brasil. Pensou, pensou e nada…
Foi então que um colega detrás, querendo ajudar outro, disse com toda nitidez: Duarte da Costa.
Estava na hora de entregar a prova e bastava que ele respondesse a pergunta, cuja resposta ele já sabia com a ajuda do colega…
Mas agora, já não tinha valor para ele aquela pergunta, importante seria se ele tivesse lembrado… e entregou sua prova sem responder a questão.
Depois da correção, dona Érica chamou o menino e disse-lhe:
- Estou contente com você. Fez uma prova excelente, mas deixou de responder uma pergunta fácil. Por quê ?
Juquinha contou o porquê e não mais contendo seus sentimentos, confessou:
- Sabe… é que…no mês passado…quando tirei um dos primeiros lugares…
Dona Érica, entretanto, não deixou que ele prosseguisse:
- Eu sei, Juquinha. Vi, quando você olhava em seus cadernos na prova do mês passado. Ninguém engana a professora…
- E a senhora não disse nada… – respondeu o menino, surpreendido.
A boa professora sorriu meigamente e abraçou o menino. Conquistara um aluno, transformou-o em aluno exemplar e, principalmente o preparou para a vida…
pense nisso…
Nem sempre a bronca, a reprimenda, são o melhor caminho para consertar alguém ou para educar alguém.
As maiores lições de vida são dadas quando nos dispomos a agir com sabedoria e não com impulsividade. Muitas vezes, cheios de razão, achamos que através de nossas imposições e avisos estaremos mudando a vida das pessoas e nos esquecemos do principal, nos esquecemos de viver o amor, que é o maior de todos os dons, e o nosso maior mandamento…
Nos esquecemos que aquele que poderia nos julgar, veio à terra e simplesmente nos deu o seu amor, doou-se, sofreur, nos libertou com a força de seu amor…
Nesta sexta-feira, eu te faço um convite. Sabe aquela pessoa que você ama, que você quer bem mas tem te trazido grandes decepções? Mude-a! Mude-a com a força de seu amor e não com a arrogância de suas palavras.  Mude-a com sua presença, com seu olhar de carinho, com seu abraço, mude-a simplesmente mostrando-lhe que você está do lado dela, mesmo com todos os erros e ressentimentos. Mude-a com seu exemplo de amor!
Se Jesus tivesse vindo à terra revestido de autoridade e poder, se Ele tivesse ficado apenas pregando sermões, dando broncas e avisos, certamente não teria transformado tantos corações. Mesmo sendo Deus e podendo fazer o que quisesse, ele ensinou, pregou, mas principalmente amou!

domingo, 22 de julho de 2012

Se Eu Confio Nele, Devo Obedecê-lo


"Faze-me ouvir a tua benignidade pela manhã, pois em ti confio; faze-me saber o caminho que devo seguir, porque a ti levanto a minha alma" (Salmos 143:8).

"Quando eu fico doente, procuro um determinado médico porque acredito em sua habilidade em cuidar de minha saúde. Qual o propósito de colocar minha fé no médico? Que eu fique bem. Mas, esta fé é suficiente? Não. Eu devo fazer tudo o que o médico me pedir para fazer, tomar todos os remédios, sejam doces ou amargos. Grande fé ou pequena fé, não alcançará seu objetivo se eu não fizer aquilo que a pessoa em quem coloco minha fé pede que eu faça. Como resultado desta obediência, eu posso alcançar o propósito de minha fé."

Em quem temos colocado nossa fé para conduzir nossa vida espiritual? A quem temos buscado? Qual o nosso verdadeiro propósito? Temos alcançado o resultado buscado?

Se Jesus é o objetivo de nossa fé, devemos aceitar a Sua direção em tudo o que fazemos. A Sua vontade precisa ser obedecida. Os Seus ensinos precisam ser seguidos. A Sua unção precisa estar em nós em todas as circunstâncias.

Se eu confio no Senhor para me dar saúde espiritual e se Ele me diz que devo amar ao próximo, é isso que devo fazer. Se Ele me diz que devo orar ao Pai, em Seu nome, para cada uma de minhas decisões, minha atitude não pode ser outra. Se Ele me manda proclamar a salvação aos perdidos, devo obedecê-lo sem hesitar. Eu creio nEle, depositei em Seu altar todas as minhas esperanças, sei que não há outro caminho a seguir, então devo seguir todas as Suas determinações.

Fé sem obediência é nula. Fé sem atitude é insuficiente. De que adianta eu dizer que tenho fé se não a ponho em prática? De que adianta eu dizer que creio no Senhor se continuo ignorando-O? Para eu ver a glória de Deus é preciso que creia e ponha minha fé em ação.

Eu creio e obedeço. E você?

sábado, 21 de julho de 2012

Confiamos Na Força Dele E Não Na Nossa


"Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do SENHOR vem a vitória"
 (Provérbios 21:31).

Durante a Segunda Guerra Mundial, o General Creighton Abrams e seu comando foram cercados pelo inimigo pelo leste, oeste, norte e sul. O General Abrams falou: "Cavalheiros, pela primeira vez na história desta campanha, estamos agora em condições de atacar o inimigo em qualquer direção".

Como encaramos as dificuldades que estão à nossa frente? Com desânimo, queixas e pessimismo ou como um desafio que pode ser vencido se a nossa fé estiver colocada no Senhor que nos prometeu vitória em qualquer situação?

Muitas vezes o Senhor permite que passemos por sérios problemas exatamente porque percebe que necessitamos ter uma verdadeira experiência em nossa vida espiritual. As lutas nos ensinam a cultivar esperança e fé e nos aproximam de Deus.

Com a nossa confiança fortalecida em Cristo, passamos a encarar os reveses da vida de maneira diferente e, de maneira definitiva, passamos a ser cristãos muito mais dedicados.

Não podemos e nem devemos ver o mundo e suas crises com olhar humano. Sempre nos julgamos fracos para enfrentar as agruras do dia-a-dia. Porém, se os nossos olhos estiverem fixos na força do Senhor, todos os obstáculos serão pequenos e, no nome de Jesus, conseguiremos ultrapassá-los.

O comandante de nossa ilustração poderia encarar a situação como o princípio de uma provável destruição, mas, estimulando seus comandados, usou-a como ponto de partida para uma grande e fabulosa vitória.

Se você está enfrentando lutas em sua vida, creia que serão fundamentais para alcançar seu sucesso e felicidade. O Senhor estará ao seu lado... sempre.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Um cristão e um zombador

Cristo… não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano (1 Pedro 2:21-22).

Dois passageiros em um trem falavam sobre questões religiosas. Um deles, ferrenho opositor do cristianismo, começou a explicar sua rejeição pela fé criticando com prazer as enormes e evidentes falhas dos cristãos.

O outro passageiro, cristão experimentado e já idoso, escutou cuidadosamente tudo o que foi dito. Sabia que muitas das críticas eram verdadeiras e, portanto, legítimas. Por um momento permaneceu em silêncio. Contudo, quando o zombador quis obter o apoio de outros passageiros, o ancião falou: “Percebo que você faz questão de ver toda a impiedade que existe no meio dos cristãos. Você é bom em destacar as faltas deles. Bem, eu sou cristão e amo o Senhor Jesus Cristo e Seu povo. Não vou pronunciar uma única palavra em defesa dos cristãos, mas desafio você a falar qualquer coisa contra o próprio Senhor Jesus”.

Surpreso, o primeiro homem teve de admitir: “De fato, não posso dizer nada contra Ele”.

“Certo”, continuou o cristão, “foi isso que me atraiu para Ele. Quanto mais O conheço, mais percebo como sou diferente dEle e como minhas falhas me tornam fraco. Agora me diga: Quando eu descobri que Ele morreu por meus pecados, como poderia deixar de amá-Lo? Desde então eu O tenho servido, e toda a iniqüidade cometida por aqueles que dizem pertencer a Ele não tem o poder de me afastar de tão grande amor. Minha salvação depende do que Ele fez, não do que os cristãos fazem.”

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Um Acontecimento Memorável


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade" (João 1:14).

Diz-se que um quinto da população mundial assistiu, pela televisão, o homem pisar na lua. Foi um acontecimento incrível e muitos ainda têm dificuldade de acreditar. Algo muito mais surpreendente aconteceu quando Deus colocou os pés na terra. Quando Jesus trouxe à terra o conhecimento das coisas ocultas de Deus, foi uma visitação divina.

O Senhor veio a este mundo. Ele viveu entre nós. Veio por nos amar, para nos salvar, para nos libertar, para nos dar vida eterna.

O Senhor pagou o preço de nossos pecados, reconciliou-nos com o Pai, mostrou o caminho para uma vida abundante e feliz. Ele foi e continua sendo nosso melhor Amigo. Ele foi e continua sendo o Médico que cura nossas enfermidades. Ele foi e continua sendo o Advogado para todas as nossas causas.

Ele esteve entre nós e nos ensinou a amar. Ele esteve entre nós e nos encheu de fé. Ele esteve entre nós e prometeu que não nos deixaria, que não nos desampararia, que supriria todas as nossas necessidades. Ele nos ensinou a ter coragem, a ter ousadia, a vencer os obstáculos, a vencer os enganos deste mundo.

O que mais nos alegra o coração é que Jesus continua entre nós. Ele está com as mãos estendidas para nos abraçar. Ele está ao nosso lado quando enfrentamos lutas, quando passamos por angústias, quando nos sentimos desanimados, quando não temos forças para vencer as provações. Ele nos anima, nos fortalece, nos guia pelas sendas da vitória.

Com Ele nada temos a temer. Com Ele alcançamos nossos sonhos. Com Ele temos a certeza de que chegaremos ao destino almejado.

Que fato memorável! Que acontecimento maravilhoso! Jesus esteve entre nós... Jesus está entre nós.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Competição Inútil


“Também vi eu que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja que o homem tem do seu próximo. Também isso é vaidade e desejo vão” (Eclesiastes 4:4).

João, conversando com um amigo, relata a experiência que teve na tarde daquele dia. “Eu levei um tremendo susto quando estava parado em um sinal de trânsito. Bem ao meu lado estava um caminhão betoneira. De repente ele começou a andar vagarosamente para a frente, antes do sinal tornar-se verde. Quando eu notei aquele movimento, imediatamente pressionei os freios pensando que meu carro estava se movendo para trás. Eu fiquei bastante assustado. Eu devia ter mantido meus olhos à frente em vez de distrair-me olhando para meu vizinho.”
Muitas vezes nós caímos no mesmo erro. Perdemos grandes oportunidades e grandes bênçãos porque deixamo-nos distrair olhando para o lado e não para a frente. Preocupamo-nos com a vida alheia e deixamos de cuidar de nossa própria vida.
No trabalho queixamo-nos de pessoas que produzem menos do que nós, que têm menor capacidade ou que têm um salário maior que o nosso. Nos estudos murmuramos pela atenção demasiada que um professor dá a certo aluno e a indiferença com que nos trata. Na igreja questionamos a posição ocupada por algum irmão quando nos julgamos muito mais preparados do que ele.
Enquanto estivermos nos comparando a outras pessoas, jamais estaremos satisfeitos e nunca seremos felizes.Para cada comparação superada surgirão muitas outras a serem vencidas.
Viveremos em eterna competição. E de que servirá tudo isso?
De nada!
Coloquemos nossos sonhos diante de Deus e alegremo-nos por cada realização. Regozijemo-nos também pelas bênçãos de nossos amigos. Agindo assim, quer a conquista seja nossa ou do nosso próximo, sempre teremos motivos para comemorar e para sermos muito felizes.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Não adianta Fugir !!


Deus também ‘procura’ os fugitivos.  Ele não abre mão de ninguém.  Há momentos difíceis na vida, pelos quais se é levado a pensar em fugir, a querer estar bem longe, distante de tudo e de todos.

 Muitos, quando confrontados com alguma adversidade, não conseguem encarar o problema de frente.  Pensam imediatamente em uma forma de escapar daquela situação sem ter que enfrentá-la.  A Bíblia relata vários exemplos de fugitivos, daqueles que tentaram fugir da presença do Senhor.  Um deles foi Jonas.


 Deus havia mandando Jonas ir até a cidade de Nínive para que ele clamasse por ela, porque a maldade daquela cidade havia subido ao Senhor.  Porém, a Bíblia diz que Jonas levantou-se a fim de fugir de diante da face do Senhor para Társis (Jn.  cap.  1) Assim como Jonas, muitos são os “fugitivos”, muitos são os que tentam escapar dos olhos do Senhor.  Contudo, não há como se ausentar da sua presença.  E para os que tentam fazê-lo, Deus tem algo especial, pois o Senhor também tem um compromisso com aquele que é “fugitivo”.

Esse algo especial está no fato de que mesmo que alguém desista de enfrentar os problemas, tente queimar etapas, cortar caminhos para sair mais rápido, Deus vai “procurar” este “fugitivo” e a vida dele só terá continuidade se ele começar tudo de novo.  Não adianta fugir de Deus, quem tentar fazê-lo terá que recomeçar tudo novamente.  É assim que Deus faz com aqueles que fogem dos compromissos com o Pai.  Ele não abre mão de ninguém, nem mesmo daqueles que querem escapar dele.  No caminho de Deus, não existem trilhas que cortam caminhos, é preciso enfrentar o problema, é preciso vencer os conflitos na força do Senhor.  O caminho de Deus é reto, é definido, não há como pular degraus, não adianta pular situações e fingir que elas não existem.  É por meio das lutas que se aprende a prosseguir.  Deus permite algumas delas para que vidas sejam treinadas, moldadas e com isso preparadas para exercer aquilo que ele quer que se exerça.

Não há como ser bem sucedido fugindo das situações, não há como ser treinado se não enfrentar de frente os obstáculos.  Não existe outro caminho.  De Deus não se pode fugir.  Muitos tentam fugir de alguém, passam até pelo outro lado da rua só para não ter que cumprimentá-lo.  Isso de nada adiantará, um dia essas pessoas vão se ‘esbarrar’ e terão que olhar olho no olho.  De Deus não se consegue esconder nada.  Nem a teimosia, o nervosismo, o mau caratismo, a infidelidade, a inveja, a cobiça…  É importante que cada pessoa se coloque no centro da vontade de Deus, sem tentar escapar, sem tentar fugir ou burlar o caminho proposto por ele.

 Quando se tenta fugir de Deus, a vida é afetada, não há como prosseguir.  Por isso é preciso olhar para Jesus, é preciso seguir os seus passos, pois assim se chegará a vitória.  “Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face?  Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também.  Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá.” (Sl.  139.7-10.)

Verdadeiros Campeões


Verdadeiros Campeões “Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança” (Tiago 1:2, 3).

“Os campeões não são aqueles que nunca falham.  São aqueles que nunca desistem.” (Edwin Louis Cole)

Um de nossos maiores problemas é desistir, com facilidade, de todos os nossos sonhos.  Ao primeiro sinal de fracasso, começamos a murmurar, a nos queixar pelos cantos, a dizer que tudo dá errado em nossas vidas, que nunca chegaremos a lugar algum, que o melhor é parar e tentar um novo caminho.
Deixamo-nos abalar por qualquer coisa e ao menor sinal de uma nuvem escura logo achamos que está vindo uma grande tempestade.  Trancamo-nos no quarto das desilusões e nem chegamos a saber que a chuva não veio.  Simplesmente perdemos a oportunidade de aproveitar o belo e agradável dia ensolarado.

Em todas as olimpíadas assistimos retrospectos de jogos anteriores, onde atletas, mesmo sabendo que não alcançarão o primeiro lugar na linha de chegada, continuam marchando rumo a ela.  Não pensam mais em ser o melhor, mas em atingir o seu objetivo.  Eles partiram de algum lugar em direção àquela linha e hão de chegar lá, custe o que custar.  Quase sempre enfrentarão lutas e dores, mas o prazer de ver o seu sonho realizado não os fará enxergar as dificuldades e nem os sofrimentos.  Geralmente são mais aplaudidos do que os que chegaram na frente.  São também vencedores e sua persistência lhes garantirá um futuro feliz.

Assim é a vida cristã.  Quase sempre enfrentamos crises, problemas no caminho, dores e aflições.  Mas seguimos em frente.  O Senhor está ao nosso lado, prometeu-nos vitória, disse que as bênçãos nos seguiriam, nós chegaremos lá.

Você tem perdido a motivação ao primeiro tropeço?  Tem desistido com facilidade?  Creia em Deus, persevere, o Senhor lhe dará a vitória.

domingo, 15 de julho de 2012

Somente Creia


Um poderoso rei condenou um humilde súdito à morte.
O homem, prestes a ser executado, propôs e teve a concordância do rei, permiti-lo ensinar o cavalo real a voar.

Caso não conseguisse, no prazo de um ano, então sua sentença Seria cumprida. “Por que adiar o inevitável?” perguntou-lhe um amigo. “Não é inevitável,” ele respondeu, “as chances são Quatro a um a meu favor. Dentro de um ano:

O rei pode perder o trono.


Eu posso Fugir.


O Cavalo pode fugir.


Eu posso ensinar o cavalo a voar.

Freqüentemente nos vemos diante de obstáculos difíceis e aparentemente impossíveis de transpor.

Por mais que busquemos soluções, elas parecem não existir. o primeiro impulso nos convida a desistir, mas é preciso que jamais esqueçamos que para o nosso amado Deus todas as coisas são possíveis.

Há alguns séculos atrás, costumava-se dizer que o homem jamais poderia voar.

“Se Deus quisesse que o homem voasse, teria lhe dado asas.”

Porém, hoje, em poucas horas o homem atravessa um oceano e vai para outro continente!

Assim como o súdito de nossa estória, aprendamos a olhar a situação com otimismo. Para cada possibilidade adversa, muitas favoráveis poderão ser encontradas, e, com muita fé e determinação, o que parecia impossível logo será realidade.

Não esmoreça nunca. Mesmo que tudo indique o contrário, creia: o seu cavalo pode voar!

Jesus ou o Burro?


É sempre tempo de tirarmos um momento e avaliar qual o conceito que temos de nós mesmo, para que se encontrarmos alguma coisa fora de lugar a respeito, concertemos o que é necessário e então empreendamos uma melhor maneira de viver….

Então o Senhor abriu a boca do jumento e ela disse a Balaão:  "Que foi que eu lhe fiz para você bater em mim três vezes?"  Números 22:28.

Balaão era um homem confuso. Necessitava uma mensagem especial para desperta-lo.Porém não havia nenhum pastor por perto, nem pregador, nem professor da Bíblia. Tudo o que havia era um jumento, e Deus lhe entregou a mensagem e ela falou.
No entanto,os homens correm o perigo de esquecer ao Deus da mensagem e seguir o jumento, e o jumento também corre o perigo de pensar que ele é o que realmente vale.

É interessante a história do burrinho que levou a JESUS durante sua entrada triunfal em Jerusalém. Todo o mundo gritava hosana, todo o mundo se inclinava e aplaudia enquanto JESUS passava, mas o burrinho pensou que era uma homenagem para ele.

Essa noite o burrinho chegou a sua casa e disse aos seus pais: " Apartir de hoje terão que me tratar com maior consideração, porque sou muito importante. Esta manhã fui a cidade, e todo o mundo se inclinou diante de mim e aplaudiram para homenagear-me.

Os pais-conta a fábula- ficaram intrigados com a noticia, e no dia seguinte o acompanharam a cidade para ver se era verdade o que o seu filho havia contado.

Para a decepção do burrinho, desta vez ninguém lhe olhou, e até havia gente que o batia para que ele saísse do caminho.

Ai dos mensageiros que , esquecendo do Deus da mensagem, permitem que o orgulho e a auto- suficiência se apoderem deles! Ai dos homens que, esquecendo do Senhor da mensagem, concentrem sua atenção ao mensageiro!

Não somos seguidores de homens.JESUS deve ser o centro de nossa atenção: o JESUS crucificado, ressuscitado e próximo a voltar. Os homens podem falar, decepcionar e até trair, porém JESUS nunca. Construir o discipulado sobre um homem é edificar na areia. JESUS é a rocha dos séculos, somente nEle estaremos seguros.

Sou seguidor de JESUS ou estou seguindo aos homens? Esta é uma pergunta que deve ser respondida. Vai com JESUS, siga a Estrela da Manhã. Ele te conduzira ao porto seguro.

sábado, 14 de julho de 2012

Puxe A Corda Do Sino


“Alegre-se o coração dos que buscam ao Senhor.  Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente” (1 Crônicas 16:10, 11).


“A oração puxa a corda embaixo e o grande sino toca em cima junto às orelhas de Deus.  Alguns tocam o sino fracamente, pois, suas orações são desanimadas; outros dão apenas um puxão ocasional na corda.  Porém, aquele que se comunica com o Céu é o homem que pega a corda corajosamente e puxa continuamente com toda a sua força.”
Com que disposição temos puxado a corda do grande sino de comunicação com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Quanto mais puxamos essa corda, mais comunhão temos com Deus.
Quanto mais comunhão temos com o nosso Pai celestial, mais bênçãos recebemos aqui neste mundo.  E essa é a razão de nossa grande felicidade.
Se estamos desanimados, mais motivos temos para puxar a corda do sino.  As mãos estendidas do Senhor nos estimulam, nos alegram o coração, nos mostram que sempre haverá esperanças e que a vitória logo chegará.  Portanto, nada de tristeza ou frustração — puxemos com força a corda do sino.
Quer esteja alegre ou triste, busque ao Senhor.  Quer tenha os sonhos já realizados ou muitos ainda por realizar, busque ao Senhor.  Ele é o nosso socorro, nosso Amigo verdadeiro, nosso companheiro em qualquer situação.
Se você começar a sentir que está se cansando de tudo, puxe a corda do sino.  Se a paz está lhe fugindo, puxe a corda do sino.  Se seu amor a Deus e ao próximo está cada vez mais fraco, puxe a corda do sino.  Se está se sentindo cada vez mais só, puxe a corda do sino.  Deus ouvirá você, lhe socorrerá e um manancial de júbilo começará a jorrar de seu interior.  Enquanto o sino estiver tocando, o sol das bênçãos de Deus estará brilhando intensamente em sua vida.
Não desanime jamais — puxe a corda do sino.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sobre o Muito Te Colocarei


 ”Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor” (Mateus 25:21).

Estava o imperador Napoleão I diante de um grupo de soldados, quando, de repente, seu cavalo saiu em disparada.  Um dos soldados ali presentes, percebendo a situação difícil em que o seu imperador se encontrava, lançou-se sobre o animal e, segurando firme as rédeas, conseguiu detê-lo, evitando que Napoleão caísse.

O imperador, vendo a coragem e determinação do soldado, cumprimentou-o dizendo: “Muito agradecido, meu capitão!” Espantado com aquelas palavras, visto que era apenas um simples soldado, mas ao mesmo tempo confiando nas palavras do imperador, o soldado replica: “Capitão de que regimento, senhor?” “Da minha guarda pessoal, respondeu Napoleão”.

Ele obteve vitória por crer nas palavras do emperador.  Assim deve acontecer com cada um de nós em relaçào a Deus.  Façamo-lo verdadeiro.  “De modo nenhum; antes seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado” (Romanos 3:4).

A dúvida, a insegurança, e muitas vezes a covardia, impedem que alcancemos nossas metas e a realização de grandes sonhos.  Quantas bênçãos deixamos de receber exatamente por não crer naquilo que Deus está falando para nós ou que nos está dirigindo a fazer?

E, se não temos a ousadia e fé para cumprir pequenos desafios do Senhor para seguir avante em busca de nossos ideais, como poderá Ele nos colocar diante dos maiores Deixemos de lado toda incredulidade e, confiando nas palavras do Senhor, prossigamos em busca de nossa vitória!

Deixando O Mundo Do Lado De Fora


“Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós.  Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações” (Tiago 4:8).

“Não é o navio na água mas a água no navio que o afunda. Da mesma forma, não é o Cristão no mundo mas o mundo no cristão que constitui o perigo.

Qualquer coisa que ofusca a minha visão do Senhor Jesus, ou afasta-me do prazer de estudar a Bíblia, ou paralisa minha vida de oração, ou dificulta o meu trabalho cristão, está errado para mim e eu devo rejeitá-la.” (J. Wilbur Chapman)

Que lugar tem ocupado o mundo em nossa vida? O lado externo ou interno? Temos, como cristãos, repelido todas as armadilhas que o mundo oferece, por mais brilhantes e sedutoras que sejam? Temos compreendido que o nosso testemunho precisa glorificar, em todos os aspectos, o nome do Senhor?

Muitas vezes cedemos às tentações crendo que o nosso “pecadinho” não terá nenhuma influência em nossa vida espiritual. Cremos dessa forma e estamos completamente enganados. Um grande afastamento de Deus começa por um pequeno passo a poucos centímetros dEle! E quanto mais longe estamos do Senhor, mais difícil se torna o regresso à

Sua presença onde existe amor, carinho e todas as bênçãos de que necessitamos para uma vida abundante, feliz e eterna.

Quando um navio começa a afundar? Quando tem alguns centímetros de água em seu interior. Quando um cristão começa a afundar espiritualmente? Quando um pequeno pecado se instala em seu coração. Se o comandante obtém sucesso em deter a entrada de água logo no início, o navio se salva. Se o cristão rejeita o pecado logo que ele tenta encontrar espaço em sua vida, a porta é fechada e ele segue firme glorificando e engrandecendo o nome do Senhor Jesus.

Você pode viver no mundo, mas não o deixe viver em você.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

O orgulho nos derrota ….


“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo” (Filipenses 2:3).

Dois gansos, ao iniciar sua migração anual de outono, encontraram uma rã que pediu que a levassem com eles para o sul.  Os gansos, desejando atender a vontade da rã, pediram que ela arrumasse uma forma de ser conduzida por eles.  A rã apresentou um talo longo de grama e os dois gansos o tomaram, cada um em uma ponta, enquanto a rã o agarrava, no centro, com sua boca.  Dessa forma, os três seguiram viagem, com sucesso, em direção ao sul.  Alguns homens, que se encontravam trabalhando em terra, notaram o fato e, com admiração, comentaram ruidosamente: “Quem teria imaginado algo tão inteligente?” A rã, cheia de vanglória, abriu a boca para dizer que havia sido ela, mas, logo que soltou o talo, caiu e se fez em pedaços, ao bater violentamente no solo.  (J.  Gilmour)

A vaidade tem sido a causa de muitas de nossas decepções.
Cremos que somos melhores, mais competentes e superiores àqueles que estão ao nosso redor.  Achamos defeito em tudo e em todos, concluindo, logo a seguir, que poderíamos fazer o mesmo de maneira muito melhor.

Quando somos humildes em nossas atitudes, os aplausos e elogios nos enchem de felicidade.  Quando somos arrogantes e orgulhosos, muitas vezes os aplausos não aparecem e mergulhamos em profunda decepção e angústia.  É melhor não esperar nada e receber tudo do que esperar tudo e não receber nada.

De que vale o orgulho?  Se agimos com amor, ele vem de nosso Deus.  Se a nossa vida brilha, a luz vem do alto, do nosso Pai celestial.  Se as nossas palavras impressionam, toda a sabedoria vem de Cristo, que no-la deu graciosamente.

A vaidade pode nos levar à morte espiritual; a humildade nos conduz a Cristo e à vitória.

Muito Riso e pouca Alegria


…a alegria do Senhor é a vossa força” (Neemias 8:10) .
Um homem que sofria de profunda depressão, foi consultar-se com um conceituado médico sobre seu problema.  Este, analisando seu caso, orientou que buscasse uma maneira de se distrair e sugeriu que poderia se divertir bastante em um certo parque da cidade onde um fantástico palhaço levava multidões a grandes gargalhadas.  Lá, com certeza, sua depressão acabaria.
Com o semblante caído e com expressão de desespero, o cliente exclamou: “Eu sou aquele palhaço!” O homem que levava milhares ao delírio e muitas risadas todas as noites era, em si mesmo, uma vítima de depressão.
Quando vivemos sem o amor e o perdão de Deus no coração, enfrentamos, sozinhos, os tempos das tristezas amargas da vida e, muitas vezes, com a alma dilacerada e o coração amargurado.  Aquele que tem Cristo no coração está sempre alegre.  Isso não significa que nunca haja momentos de tristeza em suas vidas, pois, estas, fazem parte de nosso cotidiano.  Mas, essas tristezas de forma alguma podem apagar a alegria predominante que reina em nosso interior.
Esta plenitude de alegria, inapagável, ajuda a superar os tempos difíceis com paciência e mantém o equilíbrio para que a vida prossiga em contentamento e paz.
Sorria!

O Lenhador e o Machado


Essa é a história de Pedro, um ótimo lenhador que chegou a uma serraria procurando emprego. O capataz deu-lhe um dia para que ele mostrasse as suas habilidades.
Pedro surpreendeu o capataz, pois era capaz de derrubar dez árvores enquanto o normal

era abater duas por dia. O melhor lenhador derrubava quatro.
Diante disso, Pedro foi alvo de comentários por parte de todos, pois era o melhor lenhador que se conhecia. Foi um verdadeiro sucesso. Porém, depois de algum tempo, sua produção baixou até que passou a ser o pior de todos os lenhadores. O que estaria acontecendo? O capataz preocupado, procurando saber o que estava havendo, chamou Pedro e disse:

- No dia em que você chegou aqui derrubou dez árvores, sem demonstrar cansaço e assim continuou por algum tempo. Mas ultimamente o vejo abatido e esgotado, sua produção foi caindo e você tem derrubado apenas uma árvore por dia. O que houve?

- Não sei, respondeu Pedro. Estou trabalhando como nunca trabalhei antes: tenho me esforçado três vezes mais, sou o primeiro a ir para a mata e o último a voltar!

O capataz pensou um pouco e perguntou a Pedro:

- Pedro, nesse tempo que está aqui, quantas vezes você amolou o machado?

E Pedro, um pouco atrapalhado, respondeu:

- Nenhuma, não tive tempo.

Quantas vezes voce amolou seu machado desde que foi chamado por Jesus? Nossa produção tem que no mínimo permanecer estável. Nunca diminuir! O que temos produzido com nossa ferramenta dada por Deus?
Nosso machado é nossa fé e nosso amolador é o Espírito Santo. Se voce nãoa tiver contato com Ele, seu machado vai dimiuindo a produção até ficar totalmente cego.

“Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.” Eclesiastes 3:1

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Mera coincidência?


Joel e Laura decidiram mudar-se do estado de Washington e voltar para Michigan, EUA. Desejando levar uma última lembrança especial, compraram café em sua loja favorita e foram até a livraria de sua preferência. Lá, compraram dois adesivos com um dos lemas favoritos da cidade da qual se despediam: “É um dia típico de Edmonds.”
Após duas semanas e 4.800 quilômetros, entraram no estado de Michigan. Famintos e desejosos de comemorar sua chegada, pararam para perguntar onde poderiam encontrar um restaurante. Embora tivessem de voltar alguns quilômetros, encontraram um café pequeno e singular. A garçonete, entusiasmada por perceber que eles vinham de seu estado natal, perguntou-lhes de onde vinham. Ao responderem que vinham da cidade de Edmonds, ela lhes disse: “Foi lá que eu nasci!”. Desejoso de compartilhar de sua alegria, Joel buscou um dos adesivos no carro e lhe deu. Surpreendentemente, o adesivo tinha sido comprado na loja da mãe da garçonete! Ele havia passado das mãos de sua mãe às mãos dela após percorrer 4.800 quilômetros.
Mera coincidência? Ou esses acontecimentos foram bons presentes orquestrados por um bom Deus que ama encorajar Seus filhos?
O livro de Provérbios nos diz: “Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor…” (20:24).
Então, vamos“… bendizer-lhe o nome. Porque o Senhor é bom…” (Salmo 100:4-5).

Amizades que vem de Deus

Ontem á noite Deus me presenteou com palavras muito lindas e gestos de carinho dos integrantes do meu PG. Tenho certeza que não foi um adeus, porque embora estejamos um "pouquinho" distante geograficamente, estaremos muito unidos espiritualmente porque os laços que nos unem são eternos.
È muito gratificante saber que somos amados.


Receber provas desse amor é melhor ainda...
Servir a Deus é bom demais!! Colher os frutos desse amor de Deus por nós é inexplicável!!!!
Dou glórias a Deus pela vida de todos os participantes do meu PG. Dos que participam do PG atual e dos outros com quem tive a oportunidade de conviver também no ano de 2011.
Cada um foi e é benção de Deus na minha vida!!!


Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres. Salmos 126:3

terça-feira, 10 de julho de 2012

Alegria da Salvação


"Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário." - Salmo 51:12.

O que nos deixa mais alegres? A vitória do nosso time no futebol? O fim de semana que se aproxima? Um delicioso prato de comida a nossa frente? Um filho que se destaca nos estudos? A aprovação no exame vestibular? Um aumento de salário? O início do período de férias?

Todos estes motivos de alegria desapareceriam se soubéssemos que a morte nos ceifaria deste mundo no dia seguinte. De fato, nada pode nos deixar alegres se estamos na eminência de perdermos a vida. A vida é o bem mais precioso que temos e sua manutenção é o maior motivo de alegria. Mas sabemos que nossa vida neste mundo é passageira. Rapidamente envelhecemos e nossas funções físicas começam a dar sinais de desgaste.

A certeza da vida eterna através da salvação conquistada por Cristo deve ser o motivo de maior alegria para o cristão. É por isso que o salmista ora: "Restitui-me a alegria da tua salvação". O cristão não pode perder esta alegria. A cada momento de nossas vidas, a cada respiração, a cada batida do nosso coração devemos nos lembrar que fomos salvos por Jesus e viveremos eternamente com ele.

Apenas este sentimento de "alegria da salvação" é que poderá nos sustentar com um espírito voluntário, como diz o verso de hoje. Se Jesus nos deu a vida eterna, é nosso dever darmos nossa vida a ele.

O FILME DA SUA VIDA


Josué 24.1-15

Quando um filme é bom a gente faz questão de vê-lo duas, três ou até mais vezes. A gente volta às cenas, revê os momentos mais marcantes; chora e ri. No filme da sua vida, certamente existem momentos marcantes: alguns, de alegria, outros, de tristeza. Em algumas cenas você reclama, chora; em outras, você não para de rir. O filme da sua vida, com certeza seria um bom filme para todos assistirem.
Se você olhar para o filme da sua caminhada com Deus, seguramente vai agradecer. Em todas as cenas, verá o quanto Deus lhe quer bem, porque Ele faz coisas por nós que, absolutamente, não merecemos: “Eu dei a vocês uma terra em que vocês nunca haviam trabalhado e cidades que não haviam construído. Vocês estão vivendo nestas cidades e comendo uvas e azeitonas que não plantaram” (v.13).
Você está percebendo que, no filme da sua vida, a graça de Deus sempre fala muito mais alto? Você nota o quanto Deus trabalha por você? Lembro-lhe que, se for o caso, Deus vira o mundo de cabeça para baixo só para lhe ajudar. Deus lhe ama tanto que enviou seu Filho Jesus Cristo para pagar pelo seu pecado. No filme da sua vida, o amor de Deus não tem medida porque, por si só, ele é limitado.
Diante disso, como você não serviria com integridade e fidelidade ao Senhor? Impossível! Impossível não se dedicar até às últimas conseqüências ao Reino de Deus, porque Jesus foi até onde a dor é mais forte e a angústia chega ao seu auge, para nos dar vida em abundância. Por isso, certamente, “eu e a minha família serviremos a Deus, o Senhor” (v15).

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Na Caverna de Adulão

Artigo de :A Tenda na Rocha


"Então, Davi se retirou dali e se escapou para a Caverna de Adulão..."I Sm 22: 1

Oficialmente, Saul reinava em Israel, era o rei, escolhido pelo povo. Sem o conhecimento de Saul, o profeta Samuel, ungiu Davi como rei. Um rei, escolhido por Deus. Saul em declínio por desobedecer a Deus. Davi, em ascenção: Querido por todos adquirindo fama e confiança, principalmente, após derrotar o gigante Golias. As mulheres, em Israel, cantavam, sem segredos: "Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares" I Sm 18:7. Movido por ciúmes e inveja, Saul começa a perseguir Davi para matá-lo. Temeroso, o matador de gigantes, se refugia em Adulão.

A Caverna de Adulão, se situa no Vale de Elah ou Vale do Carvalho (I Sm 17:2). É um complexo de corredores muito extenso, ainda não explorado totalmente pela arqueologia. Adulão, significa: "Justiça do povo".

Ao chegar na caverna, Davi, atrai familiares e mais 400 homens "que se achavam em aperto, endividados, e de espírito desgostoso" (v2). O homem que procurava refúgio, agora, fortalecia a muitos. Adulão, portanto é lugar de refúgio e fortaleza.

Os 400 homens, que se juntaram ali, estavam insatisfeitos com o governo de Saul. Procuravam mudanças. Encontraram um líder, segundo o coração de Deus, capaz de lhes mostrar soluções. Na caverna, súditos e rei, enfrentavam problemas. Um líder, se identificando com o povo. Adulão é lugar de igualdade.

Certamente, na caverna, os "perseguidos", puderam ouvir Salmos de louvor. Orações de dia e de madrugada. Ações de graça ao Senhor. Nesse ambiente, passaram a intensificar a fé, se aprofundar na busca. Adulão, é lugar de transformação.

Um exército de "derrotados", ouvindo de seu líder, estratégias de "como vencer gigantes". Aprendendo a diminuir, para que Deus se tornasse grande. Confrontados, a batalhar em Queila, disseram: "Estamos com medo". Deus lhes disse: Levanta-te, desce a Queila, porque te dou os filisteus na tua mão" I Sm 23:4. Adulão é lugar de recompensa.

Chegada a hora, de deixar a caverna. O profeta Gade, lhes falou: "Não fiques, naquele lugar forte; vai e entra na terra de Judá" I Sm 22: 4. Adulão é lugar de passagem. Passaremos por "Adulão", talvez poucas ou muitas vezes, contudo, chegará o dia de "entrar em Judá". Foi no auge da perseguição de Saul, que Davi narrou o Salmo 18 e no verso 19, lê-se: "Trouxe-me para um lugar espaçoso, livrou-me, porque tinha prazer em mim". Saindo da opressão, para a vitória.

Davi, escolheu se refugiar a confrontar. Tem situações em nossas vidas, que precisamos recuar. "Entrar em Adulão" para que Deus cumpra a sua justiça. Ela não deve vir de nossas mãos. "Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus" Tg 1:20. Lugar de justiça.

Em adulão, houve cura, milagre. Que essa lição, esteja gravada em nosso coração, e possamos, sempre que necessário, "entrar em Adulão". Cristo é como Davi, na caverna. A ele, se juntou sedentos por transformação, foram recebidos, sem criticas, mas, com alegria no coração. Cristo nos diz: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei" Mt 11:28. Se refugie em Adulão.

Não Seja Como As Ondas Do Mar


"... porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte" (Tiago 1:6).

Samuel Rutherford declarou: "Acredite no amor e no poder de Deus, mais do que acredita em seus próprios sentimentos e experiências. Cristo é sua Rocha e esta Rocha não é como a maré que um dia está alta e no outro está baixa, mas como o mar."

Muitas vezes perdemos uma grande bênção porque nos deixamos dirigir por nossas próprias emoções que são completamente instáveis. Um dia estamos de bom humor e no outro, totalmente angustiados. Um dia cantamos e dançamos como se fôssemos a mais feliz das criaturas e no outro choramos e murmuramos como se fôssemos pobres coitados e derrotados. Um dia agimos como se fôssemos capazes de mover montanhas com a oração e no outro, como se fôssemos ateus e inimigos de Deus.

é preciso que a nossa fé seja inabalável, que a nossa esperança seja indestrutível, que o nosso "sim" ao Senhor nunca se torne um "talvez" ou um "não". é importante que tenhamos a compreensão de que o Senhor tudo pode e que aquele que crê também tudo pode, em nome do Senhor. é necessário que não esqueçamos jamais que somos salvos e não mais perdidos, que somos cristãos que confiam no seu Deus e não incrédulos que de tudo duvidam.

Cristo é nossa Rocha e nEle estamos firmados e protegidos. Dele vem a nossa força e o Seu poder não tem limite. Ele nos faz caminhar em segurança, nos abriga das intempéries, é a fonte de nossa alegria.

Não podemos ser como as ondas do mar que vão e voltam, que às vezes estão fortes e outras fracas, que uma hora estão lá em cima e outras lá embaixo. Os inconstantes não vão a lugar algum, não realizam seus sonhos, não se firmam no caminho, não alcançam grandes vitórias.

Você continua oscilando, como as marés, ou já aprendeu a descansar em Deus?

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Um piloto para seu barco

A vida é um mar agitado, que muitas vezes nos surpreende com angústias, incertezas e sofrimentos. É como se estivéssemos num barco sem leme à mercê de uma furiosa tempestade.

Sozinho você não terá condições de vencer. Deixe então que Jesus assuma o comando de sua vida e verá que suas angústias e tristezas se transformarão em esperança, seus sofrimentos em alegria.


Ele está lhe dizendo agora: "Vem a Mim. Busque-me. Eu nunca falho. Eu sempre estou pronto para responder tuas orações. Não lute sozinho. Deixe Eu lutar por você! " 


Quando era criança aprendi um "corinho" que fala exatamente isso:

Meu barco é pequeno e grande é o mar 
Jesus segura a minha mão
Ele é meu Piloto e tudo vai bem
Na viagem pra Jerusalém!!!! 

LUGARES ALTOS



Um homem foi passear com seu filho e decidiram subir um morro para ver a paisagem.

O menino, todo animado, saiu na frente, pois queria mostrar ao pai como era forte.


O caminho, porém, foi-se tornando cada vez mais íngreme e difícil, mas o menino não desistia.

- Descanse um pouco, filho - aconselhava o homem.
- Não precisa, pai, eu sou forte - teimava o menino.

De repente o menino levou um tombo, caiu entre espinhos e, envergonhado, chorou e soluçou bastante.

O pai o acudiu, tirou seus espinhos, secou suas lágrimas e disse-lhe:
- Não precisa ficar com vergonha, filho, eu sou seu pai. Eu te amo e vamos juntos até o alto deste morro apreciar uma bela paisagem.

Foi um dia inesquecível.


Pois no dia da adversidade ele me guardará protegido em sua habitação; no seu tabernáculo me esconderá e me porá em segurança sobre um rochedo.
  Salmo 27.5

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Perseverança


"Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança." Tiago 1:2-3

 O ensino deste versículo é tremendo, porque entendemos o significado das nossas provações.
Provação é diferente de tentação. A provação é aquela situação onde nossa fé é provada, geralmente a provação acontece na forma de adversidades que se levantam contra nós, e a tentação é aquela situação em que somos seduzidos, e induzidos ao pecado. A tentação não leva a nada, mas a provação quando vencida, essa sim, ela produz a perseverança, promove o nosso crescimento humano e espiritual e nos aproxima mais de Deus. Somos como o ouro que precisa passar pelo fogo para ser refinado e para ser purificado.
 Então se você estiver passando, mesmo que seja por uma prova de fogo, louve ao Senhor, espere mais um pouco, mantenha-se firme e logo Deus trará o livramento para a tua vida.

Hora De Alegria


"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar" (João 14:1, 2).

Uma pequena menina estava entrando no cemitério, com sua tia, e enquanto caminhava, examinava os túmulos. De repente, ela disse bem alto: "Oh, titia, olhe aqui! Este túmulo é de uma pobre pessoa que não foi para o Céu". "Não foi para o Céu?" respondeu a tia com surpresa, olhando para o monumento bem elaborado e esculpido em mármore, com anjos chorando. "Como assim? O que você quer dizer com essa afirmação?" "Bem, titia", disse a menina, "a senhora ou cavalheiro no sepulcro não pôde ir para o Céu. Se tivesse ido, os anjos não estavam chorando."

A menina tinha razão. O filho de Deus se alegra em saber que, quando morrer, irá para junto do Pai celestial, para as moradas eternas que o Senhor preparou para Seus queridos. Não há motivos para lamentação e sim, um grande regozijo por estar indo viver com Cristo.

Há uma canção antiga que dizia: "O céu é um lugar maravilhoso, cheio de glória e gozo. Lá hei de ver o meu Salvador... O céu é um lugar maravilhoso"

Sim, cremos firmemente que o Céu é um lugar de delícias perpétuas, de refrigério e felicidade. Todos nós que um dia aceitamos, pela fé, o Senhor Jesus como nosso Salvador pessoal, que reconhecemos não haver outro Caminho a seguir, que entregamos nossas vidas, nossos sonhos, nossos interesses e todas as nossas decisões a Ele, aguardamos com grande ansiedade, o dia em que seremos arrebatados para viver, para sempre, ao Seu lado.

Eu me alegrarei sempre no Senhor, tanto aqui neste mundo como no momento em que o Pai me chamar para estar em Sua presença. A experiência feliz de andar com o Senhor enquanto estou aqui, se estenderá por toda a eternidade.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Poças de Lama


Em certo sábado choveu o dia inteiro. No dia seguinte, as ruas estavam secas, exceto por algumas poças de lama. Havia uma mulher que caminhava com seus dois filhos pela avenida. O mais novo estava em um carrinho de bebê, o mais velho caminhava alegremente, às vezes ao lado, às vezes à frente do carrinho. Eles se aproximavam de uma grande poça de lama, mas havia espaço suficiente de cada lado dela para passarem com tranqüilidade. A mãe percebeu a tempo que o menino estava correndo rumo à sujeira e gritou: “Não pule nessa água suja!” O menino ficou constrangido e perguntou: “Mas o que é que eu posso fazer?” Será que ele não percebeu que havia um espaço seco ao redor da poça? Não, ele não percebeu, porque tudo o que queria era brincar na lama.

Aquele menino era somente uma criança. Mas me fez pensar nos milhões que gostam da sujeira, da imundície do pecado. Muitos se corrompem e se mancham simplesmente por não desejarem evitar a tentação com que se deparam. Depois, quando as conseqüências vêm, suspiram e fazem um voto – que jamais cumprem – de não fazer aquilo de novo. Só que isso não é verdade; eles amam o pecado e a liberdade de dar vazão às concupiscências de seu coração maligno.

Não é vontade de Deus que sejamos escravos do pecado. Jesus Cristo, o Salvador do mundo, abriu o caminho para a libertação e para a vida aos que gemem sob o peso da escravidão. No entanto, há um preço a pagar, há renúncias a fazer, há uma trilha a ser percorrida. E isso requer coragem e total dependência de Deus!

Quem Toca o Instrumento?


Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12:1



Certa vez o famoso compositor Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809-1847) foi à Catedral de Freiburg, na Alemanha, para ouvir o som do grande órgão que ali havia. Após o recital, ele subiu ao tablado e pediu permissão para tocar o instrumento. O organista, um ancião, não sabendo de quem se tratava, não confiou em Mendelssohn e nem permitiu que este tocasse o teclado. Mas, por fim, lhe concedeu o pedido, fazendo questão de ficar ao lado do instrumento, supervisionando tudo.

De repente, uma maravilhosa harmonia, que somente um mestre poderia produzir, encheu o ar. O organista, completamente estupefato, colocou as mãos nos ombros do compositor e perguntou: Quem é você? Qual o seu nome? – “Mendelssohn.” O ancião, perplexo, exclamou: Como pude quase impedir que Felix Mendelssohn tocasse este órgão?

Será que os cristãos não agem da mesma maneira com o Senhor e Salvador deles? Por meio do arrependimento e da fé nos tornamos uma nova criação nEle, um “instrumento” que pode ressoar a harmonia divina neste mundo conturbado, para a glória de Deus. Mas, ao invés de permitir que o próprio Mestre produza o som que Ele deseja, isto é, ao invés de colocar sua vida incondicional e devotadamente sob a direção de Deus, os cristãos forjam seus próprios planos. O que resulta disso é uma harmonia defeituosa, infrutífera, incapaz de arrebatar os ouvidos dos perdidos. Um “sacrifício” que de “vivo, santo e agradável a Deus” não tem nada!

O “culto racional” é composto das decisões, renúncias e de toda a gama de opções que fazemos diariamente, as quais estão alinhadas com a mente de Deus. Quando submetermos nossa vida a Deus dessa forma, então seremos instrumentos afinados e úteis ao Mestre e ao mundo.

terça-feira, 3 de julho de 2012

1 Ano de Blog



Bom é render graças ao Senhor, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã a tua benignidade, e à noite a tua fidelidade, Salmos 92:1-2


Bom Dia gente!!!!!
Estou muito feliz porque hoje meu blog comemora 1 ano de existência!!!
Sou grata a Deus por ter me dado a oportunidade de estar todos os dias aqui compartilhando com vocês mensagens e ilustrações que falam ao meu coração.
Sou grata a Deus pelos comentários que recebo pessoalmente e também por e-mail me incentivando e também agradecendo por uma palavra que coloquei e que fez a diferença em suas vidas.
Obrigada pelas mais de 8 mil visualizações que já alcançamos, pelas 22 pessoas que optaram por serem seguidores do meu blog, e pelas outras que passam todos osa dias só  pra dar uma olhadinha..rsss
Que Deus continue me dando a cada dia a oportunidade de compartilhar do seu amor e da sua misericórdia!
Sou muito feliz por ser canal de bençãos em suas vidas!!


DO LIMÃO, A LIMONADA


Em muitos lugares é muito comum as pessoas dizerem, depois de um problema resolvido: fizeste do limão uma limonada!
Noemi e sua nora Rute não tinham apenas um problema, mas um quadro dramático pela miséria que as fez reféns. Viúvas, empobrecidas e sem esperança, retornam a Belém de Judá, de onde eram naturais. Voltaram porque ouviram dizer que o tempo de penúria havia passado e que um período da fatura se avizinhava com o início da colheita da cevada.
Visando a superar o quadro adverso ao qual estavam expostas, Rute é determinada. Em vez de lamentar-se pela miséria na qual se encontravam, culpando terceiros pela má sorte, dispôs-se a ir em frente para vencer os obstáculos. E, assim, dirigiu-se ao campo onde estava sendo colhida a cevada. Foi em busca das sobras que serviam de alimento para ela e Noemi. Determinada e esforçada, acabou recebendo muito mais do que, inicialmente, planejara. Fez, pois, do limão uma limonada.
Rute é um belo exemplo de uma mulher sofredora. Como viúva, estava praticamente abandonada à própria sorte. Mas, em nenhum momento ela se acomodou. Ao invés disso, ergueu a cabeça, lutou corajosamente e superou as adversidades que sobrevieram à sua vida e à de Noemi. Ela é, também, um exemplo para os nossos dias. Ao enfrentarmos situações adversas, pesadas e conflituosas, olhemos para Rute e para o seu jeito de encaminhar a solução dos problemas. Inspiremo-nos nessa mulher maravilhosa que, movida pela fé, deixa-nos esse bonito testemunho de vida.

Orando pelos Filhos


"Por este menino orava eu, e o Senhor me concedeu a petição que eu lhe fiz." - I Samuel 1:27.

O apóstolo Paulo, falando sobre os tempos difíceis, declarou que nos últimos dias os filhos seriam desobedientes aos seus pais. Na medida em que a história deste mundo aproxima-se do final o relacionamento entre pais e filhos de um modo geral tende a se degradar. É comum recebermos notícias pela mídia de filhos que agrediram e até mataram os pais. O recente exemplo de Suzane von Richthofen que matou seus pais com a ajuda do seu namorado e do irmão dele mostra quão frio pode se tornar o relacionamento entre pais e filhos.

O verso de hoje mostra quão eficiente pode ser a oração de uma mãe ou pai pelo seu filho. Ana começou a orar por seu filho Samuel antes mesmo dele ser concebido em seu ventre. A Palavra de Deus relata uma oração fervorosa, misturada com lágrimas, expressando toda sinceridade desta futura mãe. Ana miraculosamente concebeu e deu a luz ao menino Samuel que, mesmo vivendo num ambiente contaminado por um sacerdócio corrompido, foi um grande profeta de Deus.

Esta mensagem da Palavra de Deus é para os pais e mães, para que não cessem de orar por seus filhos. Talvez a resposta do Senhor não seja tão imediata, mas nosso Pai de Amor tem os seus ouvidos sensíveis para as orações intercessórias dos pais em favor dos seus filhos.

Ação e Omissão


"Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado." (Tiago 4:17)

Pode-se definir o pecado de muitos modos. Há o pecado de ação, que é fazer o que é errado: avançar o sinal, desobedecer a Deus, infringir um mandameto.

Há, porém, o pecado que Tiago menciona, que é a omissão: deixar de fazer o que é certo. Pode ser que nos gabemos das coisas que já não fazemos; que digamos: "Depois que entreguei minha vida a Jesus Cristo, mudei"... "Não uso drogas"... "Não bebo"... "Não minto"... "Não traio"... "Não xingo"...

Essas coisas são louváveis e devem ser parte da vida cristã, mas pecar não significa apenas fazer a coisa errada: é, também, deixar de fazer a coisa certa. Você pode ter orgulho daquilo que já não faz, mas... você faz as coisas certas? Diz a Bíblia: "Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17). Muitos de nós são bons em evitar certos pecados, mas não em fazer aquilo a que Deus nos chama.

Tiago diz que a fonte de nossos problemas somos nós mesmos e nosso desejo de nos contentarmos. Então, em vez de pensar em nós mesmos, devemos pôr a vontade de Deus na dianteira de nossas vidas. A vantagem é que, quando procuramos por Deus, a felicidade vem como consequência, o resultado de termos nossas vidas em ordem ao buscarmos, primeiro, o reino de Deus.

Você hoje faz aquilo que Deus lhe tem chamado a fazer?

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Quando Vamos Trabalhar?


"Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (João 9:4).

Um adolescente estava deitado no chão "Oi, filho", disse a voz. "Onde está sua mãe?"
 "Ela está lá fora, trabalhando no jardim".
 "O que?" esbravejou o pai. "Sua mãe não é mais tão jovem e forte quanto costumava ser. Por que você não a está ajudando?"
 "Eu não posso", foi a resposta. "A vovó está usando a outra enxada."

Quando deixamos que a ociosidade ocupe nossos dias, tanto estamos nos prejudicando fisicamente como deixando de ser úteis ao ambiente onde vivemos. Nada fazemos e, por isso, nada produzimos. Os outros recebem sua recompensa enquanto nós, só poderemos lamentar: "Eu nada tenho", "eu nada consigo", "eu não dou sorte na vida", "minha vida não serve para nada".

A Palavra do Senhor nos ensinou a trabalhar enquanto é hora. Trabalhamos para nosso sustento, trabalhamos para nossa satisfação, trabalhamos porque é digno, trabalhamos porque um dia receberemos o nosso galardão.

Bom é trabalhar para o Senhor. Ele nos prometeu bênçãos, nos prometeu suprir as necessidades, nos prometeu a Sua companhia, nos prometeu vitórias em todos os nossos empreendimentos.

Muitas vezes nos acomodamos achando que outros podem trabalhar em nosso lugar. Não vamos à igreja porque outros lá estarão. Não saímos para evangelizar porque muitos outros irão. Não vamos à Escola Bíblica, porque não somos necessários. Nada fazemos, nada aprendemos, nada oferecemos... Somos vidas alienadas que usam a máscara de cristãos.

Devemos estar dispostos e animados para trabalhar já. Chegará o momento em que desejaremos trabalhar mas não será possível. A hora de trabalhar para o Senhor é agora!

Fui Convidado... Devo Ir?


"Alegrei-me quando me disseram: Vamos á casa do SENHOR" (Salmos 122:1).

"Eu não tenho que frequentar todo debate a que sou convidado." (Colleen Spencer)

Costumamos receber muitos convites durante nossa estada aqui nesse mundo. Somos convidados para ir a casamentos de amigos, à formatura de parentes, a visitar uma feira qualquer, a ir ao cinema ou teatro, etc. Não há qualquer problema em comparecer a estes lugares. Vivemos em sociedade e precisamos mostrar simpatia e atenção às pessoas com quem nos relacionamos.

Mas, nem todos os convites que recebemos devem ser aceitos. Muitos deles prejudicam a nossa vida espiritual e nos afastam da comunhão com o nosso Deus. Quando um amigo nos convida a ir a uma festa, no momento em que deveríamos estar indo à casa do Senhor, a nossa resposta deve ser: não. Quando o convite recebido envolve bebidas, fumo, drogas, e outras coisas nocivas ao nosso corpo ou espírito, a resposta também deve ser: não. Quando nos chamam para ir a lugares estranhos, a cultos não cristãos, a orgias e outras atitudes condenadas pela Palavra de Deus, é claro que devemos dizer com firmeza: não.

Não devemos ir aonde Deus não está. Não devemos seguir um caminho quando Cristo não pode nos acompanhar. Não devemos participar de atividades que envergonham o nome do Senhor. Somos filhos de Deus, comprados com o sangue de nosso Salvador, herdeiros do reino preparado desde antes da fundação do mundo. Somos benditos do Pai e, como tais, devemos honrá-lo em tudo.

Eu tenho prazer em aceitar o convite para testemunhar das bênçãos recebidas. Fico empolgado quando me convidam para proclamar a salvação em Jesus Cristo.

O salmista se alegrou ao ir à casa do Senhor. Que tipo de convite alegra o seu coração?

O Que Oferecerei?


"Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas" (João 10:15).

Um capelão estava conversando com um soldado que se encontrava em um leito de hospital.
 "Você perdeu um braço na grande causa", disse o capelão.
 "Não", disse o soldado com um sorriso. "Eu não o perdi -- eu o dei".
 Do mesmo modo, Jesus não perdeu Sua vida. Ele a deu intencionalmente. Ele morreu para que tivéssemos o perdão dos pecados e para que fôssemos para o Céu.

Feliz aquele que abriu seu coração para o Senhor e pode contar com Sua companhia. Ele é nosso melhor Amigo, nosso ajudador, o Guia que nos conduz por veredas de esperança.

Ele ofereceu Sua vida santa por nós. Morreu na cruz para nos dar vida abundante. Enfrentou momentos de grande angústia por nos amar. Nele temos a paz verdadeira e a vida eterna. Ele é o nosso Deus, o nosso Consolador, o nosso Salvador.

E o que estamos dispostos a oferecer a Ele? Até que ponto estamos prontos a renunciar aos nossos interesses? Que lugar Ele tem ocupado em nossas vidas? Já lhe dissemos, alguma vez, "muito obrigado, Senhor"?

Eu quero lhe dar o meu sorriso, a minha alegria, o melhor momento de meu dia, a minha confiança em qualquer situação. Eu quero que Ele saiba que nada faço sem que Ele me oriente, que preciso dEle para tudo o que realizo, que é meu inspirador, a firmeza que move meus pés, o amor que me faz estender as mãos.

Não me cansarei de dizer "obrigado, querido Jesus". Minha vida é outra, muito melhor, muito mais agradável, muito mais prazerosa, desde que eu o aceitei em meu coração. Também direi até o último de meus dias, "Senhor, tu és o grande motivo de minha felicidade".

Que grande privilégio, Senhor, estar contigo!

domingo, 1 de julho de 2012

No louvor e na realidade

Os momentos de louvor são sempre cheios de emoção, mas às vezes falamos coisas que…


Que coisa isso, não?!

Evolução



Essa é a verdadeira Teoria da Evolução! Nessa eu confio!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...